Semana Especial de Natal | Nada como o mar



"Um dia você vai conseguir encontrar sua razão, saber por que está aqui", disse ela, no espelho. E mentalizou. O reflexo denunciava uma janela. Janelas são itens indispensáveis em um conto qualquer. Penteou os cabelos e saiu. Rua afora, o sol da manhã. Beira da praia, começo de dezembro. Gente bonita, mas vários sem conteúdo. Por quê? Tinha muito o que pensar sobre isso, mas nem ligou. Ela sempre foi a melhor no que podia ser. Seu short gasto e sua blusa básica mostravam simplicidade. E alcançava a areia, de chinelos na mão, ouvindo sua música preferida, sem nunca cantar o final. Se ela cantasse o final, perderia a graça.

A brisa seguia leve e ela seguiu caminhando. Só ela e os vendedores de água de coco. Quando muito, pessoas não tão estranhas fazendo o mesmo que ela ou quiosques já conhecidos, com seus pisca-piscas coloridos e suas caixinhas de gorjeta. Afinal, era manhã de Natal. E, como de costume, ao menos nos dois últimos anos, ela fazia a mesma coisa. Se distraía ao observar as cores do céu, observava aquele mar bonito e calmo e andava pela praia sem pretensão alguma. Tentava, inclusive, não pensar na ceia, já que sabia que seria entre ela e ela mesma. Talvez com música, talvez sem. Talvez com saudade de alguém que conheceu no ano anterior.

Até que os olhares se cruzaram.

Ele passou no sentido contrário, caminhando ao seu lado, também com fones de ouvido. Um olhar tímido, mas duradouro. Vermelha, sentiu sua pele corar. Mas continuou andando. Parou alguns metros adiante e sentou-se em um banco de pedra. Olhou para trás. Ele estava lá. Parado, olhando para ela. Ambos baixaram o olhar, ela sorriu. Não fazia ideia do que teria chamado a atenção dele, do motivo pela qual a admirava, mas não importava. Só percebeu que gostou daquele olhar.

"Se ele estivesse mais perto...", pensou, levantando-se e piscando os olhos.

A vida é engraçada. Prega peças que o destino encobre, como uma novela, cada capítulo com seus segredinhos. Talvez nunca tivesse reparado nele, fato. Mas o que os olhos não veem, o coração não sente. Nem o pensamento memoriza.

Enquanto isso, ele colocava o avental e abria seu cantinho. E pensava nela. 
Os mesmos olhos, o mesmo caminhar. Sabia que ela o havia agradecido uma vez. Seria mesmo a mesma pessoa? Lembrou-se tão nitidamente que puxou o ar. Cuidou do que precisava para liberar o bar e apoiou o pano de prato no ombro esquerdo. O calor começava a atrapalhar.

Ao voltar da caminhada, ela passou pelo mesmo quiosque. Já tinha decidido o que fazer naquele dia e o que cozinhar para mais tarde. Pediu uma água de coco bem gelada, no canudo, e pagou. Agradeceu, gentilmente, sorriu de leve e saiu. Um sorriso tímido, um minuto. Ela teria esticado o pensamento sobre pegar o carro e ir até a casa do seu irmão, mas ele soltou a respiração. Ela escutou. "Quem sabe", ele pensou. Mas o fez em voz alta.

Ela, que então se balançava devagar, como se pudesse retardar aquele gole, simplesmente parou.
Olhou para trás e semicerrou os olhos. 
Ele a olhava fixamente, sem saber como agir. Alguma coisa dizia que era ela, ele sabia que era. Alguma coisa dizia que o que ele sentiu há exatamente um ano, naquele mesmo lugar, era real. 

"Engraçado como qualquer dia pode ser o dia mais interessante", arriscou.


Bastou a voz. Bastou a voz para que ela se lembrasse de como ele a abordou da última vez. De como o tinha agradecido, de como o cinto que ele usou por cima do avental vermelho tinha ficado ridículo e de como tinha gostado daquele sorriso que, hoje, por um acaso, ele havia escondido. Naquele instante ela soube que o conhecia. Sentiu um arrepio que não soube explicar.

"Feliz Natal...", respondeu ela, abrindo um sorriso, devagar.


Os dois se aproximaram e expressaram algo que a vida não diz como nascer.

Aquele momento não fez tanto sentido, mas um dia saberiam. Um dia entenderiam o por quê, o motivo. Mas, naquele segundo, bem naquele segundo, o que importava era que não eram mais estranhos. Que aquela noite tinha acabado de ganhar um rumo e os dois, um alguém. Porque o que está escrito, está escrito e porque, não importa o mundo, todo e qualquer cenário pode ser o mais interessante. Ainda mais em uma noite mágica com um mar como aquele de fundo.




Que tal? Gostaram?

Um Feliz Natal a todos, em nome de toda a equipe!

Beijos,
Carol Gama





Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

26 comentários

Clique aqui para comentários
25/12/2015 21:04 ×

Olá,
Adorei o conto!!! Achei lindo a forma como eles se encontram, a escrita, a questão do amor abordado... Nossa. Lindo demais!
Um feliz natal para você e toda a sua equipe!
Um grande beijo,
Delírios Literários da Snow

Responder
avatar
Ivi Campos
admin
26/12/2015 08:24 ×

Que lindo!!! Natal e mar super combinam em uma história romântica não é? Apreciei muito!!!
Que 2016 seja maravilhoso para todos nós!!!
Meu Amor Pelos Livros
Beijos

Responder
avatar
26/12/2015 10:13 ×

Eu sempre penso nisso... nunca sabemos o que o dia nos reserva e nem qual será nosso pior ou melhor dia. Um conto apaixonante. Adorei
-Mari

Responder
avatar
Val
admin
26/12/2015 21:43 ×

Que lindo Carol!

Responder
avatar
26/12/2015 23:41 ×

Uau!!! Que lindo!!!!
Acho tão incrível que a gente nunca pode saber o que um dia reserva para a gente ou que dia será especial. Mais ainda pois as vezes acontece de a gente só perceber depois o quanto um determinado momento mudou tudo. Adorei o conto! Muito!!!
Beijinhos,
Lica
Amores e Livros

Responder
avatar
D e s s a
admin
27/12/2015 11:59 ×

Muito lindo o conto, parabéns! E bem no clima! rsrs
Adorei o toque que você deu a trama, com essa coisa de destino. Muito bacana!
beijos
www.apenasumvicio.com

Responder
avatar
27/12/2015 12:30 ×

Que conto bonito! Nunca associo o mar ao natal mas essa história ficou bem linda e ainda por cima com uma bela mensagem <3

Responder
avatar
27/12/2015 15:42 ×

Oii,
Que conto mais fofoo *u* muito bem escrito, fiquei curiosa para saber o depois. "um dia eles saberiam" quero saber também kkkk. Adoro contos de natal, parabéns pelo seu!
Xx

Responder
avatar
27/12/2015 22:45 ×

Nossa, que conto lindo! Adorei! Eu sou apaixonada por contos e por Natal, então não preciso dizer que amo contos de Natal, né? Amei a sua postagem, uma das melhores deste fim de ano, e olha que tenho visto posts lindíssimos neste Natal! Parabéns!

Responder
avatar
28/12/2015 11:05 ×

Eu adorei o seu texto.
Muito bem escrito. Parabéns =]
Feliz Natal para você e um próspero ano
novo cheio de amor, paz e luz para que no ano de 2016
venham muitas conquistas !!

http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/12/especial-de-natal-boas-festas.html

Responder
avatar
28/12/2015 12:46 ×

Olá!!!
Lindo e diferente conto de Natal. Que esta magia, alegria e felicidade se repita durante todo ano e que mesmo em momentos ruins possamos ser firmes e saber tirar ensinamento deles. Belo post, parabéns.

Carla Fernanda

Responder
avatar
28/12/2015 16:31 ×

Oi Carol, tudo bem?

Adorei o conto, nos mostra que um dia comum pode ser completamente diferente por causa de uma surpresa, que nunca sabemos quando vêm, mas tem o poder de mudar tudo. Gostei de saber que eles não vão ficar sozinhos na noite de Natal. E nada como o mar, realmente :)

Beijinhos,

Rafaella Lima

Responder
avatar
Carol Gama
admin
29/12/2015 08:22 ×

Oba, fico feliz! Obrigada, xará! Beijos e um ótimo 2016.

Responder
avatar
Carol Gama
admin
29/12/2015 08:23 ×

Amém! Também acho, Ivi. Obrigada pela visita e pelo comentário!

Responder
avatar
Carol Gama
admin
29/12/2015 08:24 ×

Obrigada, Mari! Que bom que gostou. Beijos!

Responder
avatar
Carol Gama
admin
29/12/2015 08:26 ×

Fico feliz de ver que gostou, Lica! Muito obrigada. Beijos!

Responder
avatar
Carol Gama
admin
29/12/2015 08:26 ×

Obrigada, Dessa! Beijos!

Responder
avatar
Carol Gama
admin
29/12/2015 08:27 ×

Oba, que bom que curtiu! Beijos!

Responder
avatar
Carol Gama
admin
29/12/2015 08:27 ×

Obrigada, Thamiris! Também estou curiosa, vamos ver.

Responder
avatar
Carol Gama
admin
29/12/2015 08:29 ×

Puxa, que carinho! Obrigada! Fico feliz que tenha gostado. Beijos!

Responder
avatar
29/12/2015 12:28 ×

Olá,

Confesso que não gosto muito de contos, porque quando acabam eu fico querendo saber o que aconteceu. Mas. não sei, eu gostei muito desse. O romance foi tão leve e surpreendente, curti!

Beijos,
entreoculoselivros.blogspot.com

Responder
avatar
Carol Gama
admin
04/01/2016 15:01 ×

Amém. Obrigada, Silvana! Que seu 2016 também seja tudo de bom!

Responder
avatar
Carol Gama
admin
04/01/2016 15:02 ×

Oba, obrigada! Que essa alegria se espalhe por aí. Beijo grande, Carla.

Responder
avatar
Carol Gama
admin
04/01/2016 15:03 ×

Tudo bem! E você? Também gostei de saber que ficaram juntos, viu. Fui escrevendo e quando me dei conta, os dois estavam se olhando, hahaha! Beijos, obrigada pela visita.

Responder
avatar
Carol Gama
admin
04/01/2016 15:04 ×

Puxa, que bom! Fico feliz, Thayenne! Um beijo e muito obrigada.

Responder
avatar

Querido leitor,

Seus comentários deixam o nosso cantinho ainda mais especial. Agradecemos muito a sua participação! Até o próximo post! ;)

Equipe do Citação
ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário