Toque de Dorama | Full House (thai)



Título: Full House
Também conhecido por: วุ่นนัก รักเต็มบ้าน, Woon Nuk Ruk Tem Barn
Gênero: comédia, romance.
Tags: refilmagem, homem rico e garota pobre, casamento por contrato, celebridade
País: Tailândia
Número de episódios: 20
Exibição: 11 de Janeiro de 2014 – 16 de Março de 2014
Canal: True4U
Duração do episódio: 50 min.

Bem-vindos a mais uma resenha de dorama! Dessa vez vamos viajar para a Tailândia, este belíssimo país de paisagens deslumbrantes e que vem constantemente nos trazendo belas lakhorns, muitas refilmando doramas coreanos, as vezes melhores que os originais, as vezes não, mas sempre bom para a gente rever a história. Na resenha de hoje uma versão de Full House, e já vou dizer, eu amo essa versão, mil vezes mais que a coreana.
Mas vamos em partes, pausa para ajudar os novatos, você que é novo nisso tem que saber que dorama em idioma tailandês se chama LAKHORN. Então toda vez que você ver alguém falando de lakhorns, saibam que não é nenhum ET, são apenas doramas tailandeses, as vezes também chamados de thai-dramas (thai de Thailand).

A versão original é a coreana de 2004, depois teve uma versão filipina em 2009, a tailandesa em 2014 e agora vai ter uma chinesa em 2018, mas provavelmente só em dezembro. Todas com o mesmo nome! A versão coreana é um dos doramas mais vistos de todos os tempos, e não é injustamente, ela tem algumas cenas ótimas e um elenco muito bom, mas... não sei como alguém consegue não preferir a tailandesa!!
A história é um velho clichê que com certeza você já viu pelo menos em meia dúzia de filmes, mocinha conhece mocinho e eles se odeiam a primeira vista, aí acontece algo além do controle deles, e eles são obrigados a fingir que são um casal e morar juntos. É repetitivo, mas ainda assim uma delícia, não é mesmo?

Nessa versão Mike (Mike D’Angelo) é um astro pop que apesar de arrasar milhares de corações de fãs, só tem olhos para sua amiga de infância, Mintra (Janesuda Jane), também conhecida como a vaca que você pode até entender, mas vai odiar. Ela por sua vez, é apaixonada pelo seu outro melhor amigo, Guy (Panichkul Uttsada), que apesar do carinho, não tem a menor intenção de se envolver com ela. Então ela usa e abusa do amor de Mike para servir de consolo, de opoio ou simplesmente para se sentir com a autoestima elevada. E o que dá raiva é que ela sabe que faz ele sofrer, mas não liga.
Aí entra na história nossa protagonista fofíssima, Aom Am (Aom Sushar), uma jovem sonhadora que tenta ser escritora e que acredita que todo mundo tem um lado bom. Mas ela já começa se ferrando, sua melhor amiga, a quem ela tem como irmã, e o namorado metido a espertalhão estão encrencados, devendo uma fortuna para um agiota e, para conseguir escapar, decidem aplicar um golpe em Aom.

Spoiler dos primeiros episódios!

Fingindo que ganharam uma viagem para a Coreia (all included), na versão original a viagem é para Shangai, e que querem dar para ela, eles fazem ela assinar os papéis de autorização para eles venderem a casa dela, seu único bem. Ela embarca no avião feliz, na primeira classe e nem imagina o quanto sua vida vai mudar. Só que, adivinhem de quem ela senta ao lado? Mike está indo para Coreia para uma série de entrevistas para divulgação de sua carreira lá, ele um pop estar mal-amado e arrogante, ela uma menina doce e cheia de sonhos voando pela primeira vez. Para a situação ser mais constrangedora, ela enche a cara de vinho e acaba vomitando nele.
Mas como é preciso de muitas coincidências para se fazer um casal, eles vão se hospedar no mesmo hotel!
A princípio, Aom acha algumas coisas estranhas em relação a viagem, mas ainda nem desconfia do golpe, então está lá tranquila passeando, fazendo turismo, e acaba conhecendo Guy. Toda frieza dele com Mintra desaparece com Aom, ele se encanta com ela, não vamos falar de amor à primeira vista, mas é uma empatia profunda com certeza.

Passados os dois primeiros dias, o mundo de Aom começa a desabar, o hotel não está pago pelos cinco dias prometidos, ninguém apareceu para lhe dar dinheiro para gastar na viagem, ela não tem passagem de volta e seus amigos não atendem o telefone. Ela sem falar inglês, nem coreano, sem conhecer ninguém lá e agora sem qualquer dinheiro, ela se desespera e pensa na única pessoa com quem ela sabe que consegue se comunicar, ou quase isso, quem? O astro que a odeia! Rs
Ministério de Relações Exteriores avisa: Se algo parecido acontecer com vocês numa viagem internacional, procurem a polícia e peça para te ajudarem a ir para a embaixada! Por favor! Please!
Claro que Mike a ignora quando ela bate na porta dele pedindo dinheiro emprestado, mas aí ela inventa uma história mirabolante sobre ela e Guy, e o astro arrogante acredita! Gente, isso não é fofo?
Só que diz a lenda que para o amor acontecer, tem de haver três coincidências.

Aom chega de volta à Tailândia e descobre a venda da casa. Ainda sem conseguir falar com os “amigos”, ela se esconde dentro da casa enquanto o novo proprietário não se muda tentando descobrir um jeito de resolver seus problemas. E vamos lá, adivinhem quem é o novo proprietário? Rs
Cenas absolutamente engraçadas, divertidas, fofas, ele grosseirão, mas ela sem noção demais também, num roteiro que vai fazer você acreditar que até tem sentido, ele deixar ela morar lá trabalhando como doméstica para pagar o dinheiro que pegou emprestado na Coreia. Mas o melhor está para vir, quando ele, ao ser desafiado por Mintra a confessar o seu amor na frente de dezenas de repórteres, decide confessar que ama Aom. Aí é que a história fica boa de verdade!
A versão coreana é bem parecida até aí, mas depois elas ficam bem diferentes, o Young Jae é mais grosso, demora mais a se apaixonar pela Ji Eun, ela sofre muito mais e eles se mantem bem distantes durante muito tempo. Na versão tailandesa, logo eles ficam amigos, logo ganham intimidade e a intimidade logo vira flerte. Apesar de também ter a fase do “vamos fazer os protagonistas chorarem”! E a versão thai tem a cena do sorvete no final do capítulo 14 que merece ser revista várias vezes.

A dupla Mike D’Angelo e Aom Sushar que também trabalhou junto em Kiss Me (versão thai de Itazura na kiss) arrebenta qualquer coração. Eles são perfeitos juntos! Não é atoa que tanta gente shipe os dois na vida real. Mas são só amigos, tá?
As lakhorns não costumam ter a mesma qualidade de produção que os doramas coreanos, Full House é uma exceção. O elenco, o figurino, o cenário, a edição, está tudo bom, só a maquiagem que as vezes deixa os personagens parecendo estar com uma máscara branca, mas nada grave.
Então só me resta dizer que vale muito a pena você assistir esta versão de Full House! Você vai se apaixonar por estes dois. Você pode assistir pelo Fighting Fansub, Lakhorns Brasil ou Banzai Dramas Fansub.

Beijo e até semana que vem com um J-drama muito especial, adaptado de um mangá, Kuzu No Honkai fala sobre sexo e sexualidade na adolescência de um jeito forte e intenso que mexe com o equilíbrio da gente. Bye bye!

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Querido leitor,

Seus comentários deixam o nosso cantinho ainda mais especial. Agradecemos muito a sua participação! Até o próximo post! ;)

Equipe do Citação
ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário