Toque de Dorama | Kuzu No Honkai


Título: Kuzu No Honkai
Também conhecido por: クズの本, Scum's Wish, Desejo da Escória
Gênero: drama, psicológico, romance.
Tags:  sexo, sexualidade, virgindade, lesbianismo, amadurecimento, escola, adaptado de um mangá.
País: Japão
Número de episódios: 12
Exibição: 13 de Janeiro de 2017 - 31 de Março de 2017
Canal: FujiTV
Duração do episódio: 25 min.

Oi pessoal, nas últimas semanas viajamos por países diferentes, saímos da pátria mãe dos doramas, Coreia, e passamos por alguns países até chegarmos aqui: BEM VINDOS AO PRIMEIRO J-DRAMA DA COLUNA! Amo j-dramas!
Como vocês vão poder notar, os j-dramas não costumam ser fofos e românticos como os doramas coreanos, a pegada é mais dramática, uma boa parte não tem final feliz e o sexo não é visto apenas pelo seu lado romântico, e sim pelo seu apelo carnal. Até mesmo quando o dorama é fofo e inocente, o sexo está lá subliminar, latejante. Adoro!

As pessoas tendem achar que Kuzu No Honkai é um dorama safadinho, erótico. Mas o que eu achei  foi intenso e bem triste, mas com certeza amei assistir.

A trama começa nos falando de amor platônico de alunos por 2 professores que começam a namorar. Awaya Mugi (Sakurada Dori) é um jovem de 17 anos que tem a muitos anos fixação em sua ex-professora particular, e agora professora de música da escola, Akane Minagawa (Aizawa Rina). Ele é lindo, talentoso, inteligente e popular, mas só tem olhos para Akane, que, vaidosa, alimenta sua paixão com pequenas sutilezas que ele sabe muito bem serem provocação, mas não consegue evitar de continuar a desejando.

Akane é o personagem mais polêmico da história, para muitos ela será considerada rapidamente a vilã, e ela realmente faz por merecer. Mas é uma personagem bastante complexa, uma mulher que decidiu ignorar as convenções sociais e viver sua sexualidade intensamente, sem pudor, sem regras e sem limites, ela avança sobre tudo que lhe traz prazer. Quer seja o olhar de admiração por sua beleza, o desejo de um aluno, o amor de um homem íntegro ou o toque de um homem qualquer, tudo que lhe traz prazer, ela aceita, ela quer, doa a quem doer. Desse jeito ela mascara a própria dor do vazio de suas relações e de sentir que a única coisa que ela tem de bom é a aparência e a disponibilidade para o sexo.

Yasuroka Hanabi (Yoshimoto Miyu), a mocinha, é apaixonada por Kanai Narumi (Mizuta Kouki), um amigo de sua família e agora seu professor na escola, desde criança. Narumi nutre um carinho e atenção todo especial por Hanabi, mas sem segundas intenções, para ele, ela continua sendo uma criança, o que vai fazer Hanabi tentar mostrar para ele a todo custo que é uma mulher.
Quando Narumi e Akane começam a flertar, os dois jovens já começam a sofrer. Mugi percebe o interesse e o sofrimento de Hanabi e decide propor que fiquem juntos. Mas este ficar junto não é apenas um namoro de mentira para provocar ciúme, é uma tentativa de aliviar a frustração emocional e sexual em que se encontram. O corpo explodindo de hormônios e desejos, uma sociedade extremamente fechada como a japonesa e as provocações de Akane estão o deixando no limite. Mugi precisa se afirmar como homem, precisa esquecer essa dor, precisa mudar o rumo dessa sua relação doentia com Akane.

Já Hanabi ainda tem sonhos românticos, mas está frustrada, ela percebe a postura de Akane com Narumi, sabe que ele está sendo enganado, mas não consegue fazer nada, nem mesmo competir com ela pelo seu coração por ele só a ver como criança. Ela quer provar que é adulta, quer desmascarar Akane e quer também alívio para toda sua dor. Nesse contexto, ela vai questionar seus sonhos românticos, suas crenças sobre moral e sua sexualidade.
Assim que ouve a proposta de Mugi, a reação de Hanabi é negar, mas ela não vê nenhuma outra opção, a proposta dele, apesar de ir contra o que aprendeu como certo, é naquele momento a única coisa que ela pode fazer para fugir daquele sofrimento. E quando ela aceita, eles rompem uma barreira, aquela barreira que diz que namoros são para apaixonados. Ao romper essa primeira barreira, eles também rompem com a necessidade de seguir um padrão de namoro, e eles não têm medo de nada, eles não têm porque ter medo de se envolver, de se machucar, porque eles já se sentem feridos.

Então a primeira cena deles juntos, já vai chocar os fãs de doramas pela ousadia e pela frieza das palavras. Contudo o dorama não é inteiro assim tenso, como bons adolescentes, eles também vão ficar amigos, parceiros, vão consolar um ao outro, vão descobrir coisas sobre seus corpos, seus desejos, sobre o que lhes dá prazer, vão rir, vão brincar, vão passear. Como o ponto de vista da história é o de Hanabi, a gente vai ver ela se questionar sobre várias coisas, tipo se o correto é ser como Akane e fazer qualquer coisa que se tenha vontade ou se é manter a virgindade para perder em um momento especial com uma pessoa especial.

Hanabi não era bem vista pelas meninas de sua turma, mesmo antes de começar o namoro com Mugi, mesmo sendo totalmente inocente, sua fama era ruim, então ela não tinha amigas. Quando ela começa a namorar, uma menina se aproxima dela, Sanae Ebato (Sarii Ikegami). A aproximação aparentemente inocente, é bem recebida por Hanabi, mas Sanae nutri uma paixão secreta por Hanabi. Por estar apaixonada e observando tudo, ela percebe que o namoro entre Hanabi e Mugi não começa por amor, que, antes, eles nem se olhavam, mas ela não sabe o motivo do namoro, então, ela volta todas as suas armas para separar os dois e seduzir Hanabi.

Muitas dúvidas vão encher a cabecinha de Hanabi até ela encontrar o caminho dela e da sua sexualidade. Outros personagens também entram para apimentar essa história, como um dos amantes de Akane que tenta convencer Hanabi a ser que nem ela e uma pretendente de Mugi, que é o modelo da boa menina inocente, o oposto de Akane.
A história do dorama é quase que literalmente a história do anime, que também é quase que literalmente a história do mangá. Só pega um pouco mais leve nas cenas de sexo e na relação entre Sanae e Hanabi. Mas tá tudo lá, eu fui procurar ler porque não gostei do final. É um final aberto que não te dá muita certeza do que será. Tem horas que eu odeio finais assim!

Atenção spoiler!!!! Spoiler gigantesco do final!!! Spoiler que você não deveria ler sem ter acabado de ver!!!!
Se ler, não venha reclamar depois!
No final, Hanabi e Mugi percebem que se apaixonaram no caminho. Mas percebem também o quanto o envolvimento deles aconteceu de forma errada, o quanto eles atropelaram tudo, e em como tudo aquilo estaria presente na vida deles se ficassem juntos. Então decidem que eles têm de viver suas vidas como pessoas normais, crescer, amadurecer, aproveitar cada fase da vida deles sem pressa e seguem cada um para um lado.
Eu gosto de imaginar que eles seguiram em frente, estudaram, namoraram normalmente, se formaram, arrumaram seus empregos e que depois de uns 6 ou 7 anos, assim meio sem querer, eles se esbarraram em algum lugar, se reconheceram e recomeçaram a namorar. Dessa vez fazendo tudo da maneira certa e o sexo entre eles foi incrível! Rs
Fim do spoiler!!!

Bem, quase que essa resenha sai maior que o dorama! Espero que tenham gostado, o anime está disponível em diversos sites e aplicativos de anime, o mangá, nos de mangá, e o dorama somente no Mahal Drama Fansub. Semana que vem a gente volta com Legend Of The Blue Sea. Beijo e até lá.

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Querido leitor,

Seus comentários deixam o nosso cantinho ainda mais especial. Agradecemos muito a sua participação! Até o próximo post! ;)

Equipe do Citação
ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário