Toque de Dorama | Marry me, Mary!



Também conhecido por: 매리는 외박중, Mary stayed out all night , Maerineun Oebakjoong, Maerineun Oebakjung
Gênero: drama, romance, comédia.
Tags: música, casamento arranjado, casamento falso, amizade, superação, família, ambição.
País: Coreia
Número de episódios: 16
Exibição: 08 de Novembro de 2010 – 28 de Dezembro de 2010
Canal: KBS2
Duração do episódio: 65 min.


Você vai me dizer, “não acredito que você vai dizer que amou esse dorama horrível, mal feito, cheio de erros de sequência, com cenas absurdas!” E eu vou te dizer: amei e me orgulho disso! Aí você vai dizer: “como ela pode trocar "aquele" cara por aquele lá?” e eu vou ter de dizer que foi isso que me fez amar esse dorama.

Olá pessoal! O dorama dessa semana é o polêmico Marry me, Mary!

Vamos lá! Wi Mae Ri (Moon Geun Young) é uma jovem sem nenhum talento especial que foi criada pelo pai, Wi Dae Han (Park Sang Myun), depois que sua mãe morre com ela ainda pequena, com muita dificuldade, ele sempre foi um pai carinhoso e quis dar o melhor para sua filha, ela se tornou uma boa jovem, responsável e esforçada, mas eles vivem na pior por causa das irresponsabilidades do pai. Ele não é má pessoa, mas é aquele cara que sempre acha que descobriu uma oportunidade genial, única e sempre acaba perdendo tudo e se endividando cada vez mais. O início do dorama já é assim, vemos serem retirados todos os móveis de sua casa para pagar dívidas do pai, vemos agiotas aparecerem procurando por ele e ele tendo de fugir. Mas ela não desiste, não perde a esperança, e junta todo dinheiro que pode para voltar a estudar acreditando que assim conquistará um futuro melhor para ela e o pai.

Certa noite duas amigas ligam para ela, porque elas saíram e beberam muito e não podem dirigir, então ela aceita ir pegá-las por metade do dinheiro que gastariam em taxi. Mas as amigas com pena dela nunca sair por falta de dinheiro, a chamam para ficar com elas. Ela topa e nem imagina que essa noite vai mudar sua vida. Perdidas em um bairro de atrações noturnas, ela se distrai alguns segundos e atropela Kang Moo Kyul (Jang Geun Suk lindinho da titia). Desesperada, ela quer ajudar ele, mas ele estava atrasado para o show que faria e não dá a menor bola para o que ela diz. Ela com medo dele mudar de ideia e dar queixa dela ou processar a amiga pela placa do carro, vai atrás dele.

Ela segue ele até o trabalho, onde descobre que ele é vocalista de uma banda indie, e persegue depois do show. Vê ele levar um tapa, depois ir se encontrar com outra mulher e logo tira um monte de conclusões, todas erradas. Mas o que conta, é que ela se convence que ele é um vigarista, e decide enganá-lo para ele assinar uma folha em branco, ele assina, mas assim como ela, ele também tem suas cicatrizes e fica desconfiado. Então é ele que vai atrás dela e rasga o papel. Ela volta a persegui-lo! Mas dessa vez, ele decide levar ela para beber com ele e ficam de porre e passam a noite juntos! Mas só dormindo gente. Rs Só que daí começa a surgir uma amizade. Logo as amigas dela vão conhecer ele e os caras da banda, e os grupos vão se aproximar. Delicinha, delicinha de ver!

Só que aí o pai Mae Ri volta a aprontar, dessa vez ele acha que tirou a sorte grande quando reencontra um velho amigo rico, Byun Jung Suk (Park Joon Gyu), disposto a liquidar sua dívida. O que o pai de Mae Ri não sabe é que Jung Suk não é apenas um amigo caridoso, ele foi apaixonado pela mãe dela, e em troca da ajuda quer que Mae Ri se case com o filho dele, Byung Jun In (Kim Jae Wook).
Jun In é lindo, sexy, rico, gentil, educado, culto e uma boa pessoa, porém ele não tem interesse em se casar com uma desconhecida, ainda por cima forçada. Só que o pai condiciona o investimento que Jun In quer receber para sua produtora a este casamento. Então ele pede um prazo de 100 dias ao pai, para que ele possa conviver com a futura esposa, no final desse período, caberia a ela decidir se prosseguiria com o casamento ou não. E claro, ele não pretende fazer nada para ser escolhido!

Ela se recusa, ela não quer casar com um cara que nem sequer conhece, ela quer amor!!! Ela ainda não está apaixonada por ninguém, mas ela quer encontrar “o cara”! E nós telespectadores somos testemunhas que ela já está bem mexida por alguém. As coisas vão acontecendo e quando surge a história do casamento, que o pai dela quer obrigar de qualquer jeito, os amigos bolam uma ideia, "se você já for casada não pode casar de novo". E adivinha quem eles escolhem para casar com ela, o lindo vocalista esquisitão, meio casca grossa. Ele topa ajudar um pouco contrariado, veja bem, ele mal conhece a garota, não tem nada a ganhar com isso, mas cede porque não gosta de ver ela sendo obrigada a casar com um cara que não ama, porque ele é assim, um espírito livre, que não tem onde cair morto e passa a maior parte do tempo bêbado, mas uma pessoa boa.

Mas para forçar a filha a aceitar o casamento de qualquer jeito o pai de Mae Ri corre para fazer o registro de família. Na Coreia não é necessário uma cerimônia de casamento, as pessoas fazem apenas como uma comemoração sem qualquer valor jurídico, é isso que teoricamente ela fez com o Moo Kyul. Juridicamente o que vale é o registro de família, mas outros membros da família podem registrar alguém.  Agora só resta a ela processar o pai, se divorciar ou assumir o casamento, ao menos durante aqueles 100 dias.

Para evitar a vida de casada com Jun In, ela alega que ama seu marido Moo Kyul, então o pai propõe que ela experimente os dois por esses 100 dias, um de dia, outro de noite, mas ela não dorme com nenhum deles, dorme em casa. E lá vai Moo Kyul de novo envolvido nessa história tendo de passar 100 dias fingindo ser o amor da vida de Mae Ri. Por que ele topa? Ela ajuda ele, oferece dinheiro, pede, implora, mas ele não quer ceder, só que acaba cedendo pouco a pouco. O que não chega ser tão difícil para nenhum dos dois! É delicioso ver a relação dos dois, ele a chama de Merry Christmas só de brincadeira, então ela o chama de Happy New Year. Ele diz que o nome dela é de cachorro e começa a fazer au au  pra ela, ela responde que ele que parece um gato de rua e começa a fazer miau pra ele. Ele o tempo todo repete que ela é fofa, e ela sente o coração acelerar quando ele chega mais perto. Sem dúvida dois vira-latas sem eira nem beira, mas dos mais fofos!

Aí que as coisas fogem do clichê, esse cara que é pobre e ferrado que nem ela, não tem nada para oferecer! Ele é um bom músico, talentoso, bonito, sexy, sempre aparece alguém para oferecer uma oportunidade para ele gravar, mas ele se recusa a abandonar os amigos de banda, e graças a sua lealdade aos amigos não vai a lugar nenhum. Ele até consegue guardar algum dinheiro, porque além de música faz vários serviços, mas sempre acaba ficando sem nada por ajudar a mãe que é totalmente irresponsável que nem o pai dela (talvez um pouco pior por sempre o deixar sozinho). Ele faz o tipo durão e orgulhoso, não gosta de pedir favores, não gosta de falsidade, desconfia de tudo, só que na verdade é muito carente, vive numa miséria de dar dó, tá sempre com fome e com frio (muito frio). Ele não tem modos refinados, não terminou os estudos, não tem perspectiva, mas é incrivelmente honesto, ético e leal.

As coisas começam a mudar quando Moo Kyul é convidado para trabalhar na produção musical de um dorama, por coincidência, exatamente por Jun In. Por mais coincidência ainda, a estrela da história é uma ex namorada dele, que ainda gosta dele. E porque doramas não tem limites para coincidências, Mae Ri tinha pedido para ficar trabalhando na produtora como assistente no horário que tem de estar com Jun In.  Conforme as coisas avançam e se complicam, fica cada vez mais difícil pra Mae Ri fugir de casar com Jun In, sua relação com Moo Kyul não é nada fácil, e a falta de dinheiro afeta a relação. Mas contra tudo e contra todos, eles brigam inúmeras vezes, mas estão ali um para o outro, prontos a se sacrificar pelo outro. Impossível não se apaixonar por essa história!

Claro, o dorama tem defeitos, ele teve uma péssima audiência e foi muito criticado na época, tem um monte de cenas que você se pergunta onde estava o diretor que não viu isso, fora os erros de edição! Tem cenas que são dignas de teatro infantil, sabe aquela história de que as crianças na plateia gritam: olha o lobo! Mas a Chapeuzinho não vê ele bem do lado dela? Mas relaxa e abstrai os defeitos! O que importa é que a história é ótima, e é um dos casais mais fofos que eu vi em doramas.

Atenção spoiler!

Shipando quem? Eu concordei totalmente com o casal principal, ao invés de torcer pelo rico bonitão, pelo motivo mais simples, com o tempo, ele se apaixona de verdade (quando ele descobre algo), e com o tempo ele mostra seu valor, mas antes de mais nada, ele é o cara mimado, que quer ser produtor, mas ao invés de correr atrás sozinho e começar de baixo, aceita se casar com uma mulher que ele nem conhece para conseguir o dinheiro do pai. Quando ele percebe que quer ser escolhido por ela, sem saber que ela na verdade não tem nada com o Moo Kyul, ele propõe que ela dê uma chance a ele de mostrar de verdade que pode ser um bom marido, muito melhor que o Moo Kyul, e realmente se comporta como um marido maravilhoso, usando todos os seus dotes para conquistá-la (e não são poucos). Mas mesmo aí ele erra, porque ele usa seu poder econômico, conforto e segurança financeira. Ele quer mostrar que pode fazê-la mais feliz que o outro, porque pode realizar seus desejos materiais. Pode realizar seu sonho de voltar a estudar. Ou seja, o argumento dele é que ele é a escolha mais racional, mesmo que os sentimentos dele sejam sinceros.
FIM DO SPOILER!

Espero que vocês gostem tanto quanto eu! Está disponível no Viki, Meteor Dramas Fansub e DramaFever (como Mary stayed out all night)!

Beijos e até semana que vem com Chicago Typewriter!

Proxima
« Anterior
Anterior
Proxima »

Querido leitor,

Seus comentários deixam o nosso cantinho ainda mais especial. Agradecemos muito a sua participação! Até o próximo post! ;)

Equipe do Citação
ConversãoConversão EmoticonEmoticon

Obrigado pelo seu comentário